segunda-feira, 31 de maio de 2010

sábado, 29 de maio de 2010

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Olafur Eliasson

Pedro Calapez

Longe

Tenho uma relação com a cor que me desata.
Não há amarras quando se sente.
São pedaços de bem estar.
Na pele, no olhar longo,
dentro de mim,
longe.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

As senhoras que sabem tudo

As senhoras que sabem tudo, dizem o que lhes vai na alma e o que as ouvintes lhes vão sugerindo por entre olhares insinuantes, enquanto salivam pela confirmação dos seus estados miseráveis.
É hábito, juntarem-se e visitarem as senhoras que sabem tudo.
Não aguentam regressar sozinhas, depois de assistirem ao desmascarar das suas fragilidades .
E é todo o tipo de pessoas, de todas as idades que alimenta esta relação.
Uma relação estranha de poder.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Alkinoos Ioannidis

S/título

Antony Gormly
O caos perturba-me a desorganização.
Horizontes interiores, planuras.
Receios amainados.
Lanchas habitadas,
sofreguidão até à dor.
Viagem

feitiço

Sabe muito bem o que quer.
Se insisto em não perceber, deita-se lânguida e recebe as festas que exige sentir repetidas até à minha exaustão.
Retiro-me e dá-me um tempo.
Repete o feitiço e eu recomeço.
Sempre da mesma maneira.

O chefe controlador

Damien Hirst - Vallium
O chefe controlador torna-se prisioneiro da sua maneira de ser.
Como o empregado trafulha que tem coisas a esconder, e que não vai de férias, para não ser descoberto, o chefe controlador também.
Se sai ou vai de férias, as hostes brincam e tentam esquecer o domínio surdo, aligeirando as imposições que os chega a entontecer até à náusea dos antidepressivos.
Nessas ocasiões existe uma segunda figura que tenta manter o controlo, mas geralmente não é bem sucedida
A rédea solta-se.
E então o chefe controlador chega, e é-lhe transmitido o pouco que se produziu na sua ausência.
Já sabia.
Volta à mesma revolta surda e refina as práticas perversas.
E o ciclo repete-se.

terça-feira, 25 de maio de 2010

domingo, 23 de maio de 2010

Billie Holiday

Cornelia Parker

Pertença

Sem nos possuirmos,
partilhamos o olhar,
Somos nós.
Estamos,
quando permanecemos separados.
Os dois.