quinta-feira, 29 de setembro de 2011

domingo, 25 de setembro de 2011

Julie Blackmon



Julie Blackmon encena ambientes onde se movem personagens, em espaços deliciosamente caóticos.
Composição e tonalidades.
Os detalhes, sublime.

sábado, 24 de setembro de 2011




Jeffrey T. Larson






Malgré tout os ciclos ainda se renovam, e o outono está aí.
Cheira.
Não há como escapar;
As castanhas a batata-doce o "fresquinho por cima", a respiração a chamar pelo quintal, o conforto de uma aconchego.
Que o fresco já arrepia, e as costas sofrem.

Um fim de tarde

Pensava nessa sua  tendência,  para habitar casas encenadas.
Na primeira casa, polvilhou uma parede de inutilidades, que lhe adoçavam o olhar.

Às vezes pensa onde foi buscar essa necessidade de acumular o que não faz falta, se quando olha para um espaço, gosta de o ver vazio, sem histórias.
Será por isso, pela imaginação não saber histórias, em casas habitadas?
Sentia-se envolta pelo ouro daquele fim de tarde, um cheiro muito doce.
Chamou os cães para dentro, e sorriu.

Por aí


Henry Miller por George Brassai -  Paris 1932







Bundi - Rajastão

Kikki & Polly



"The world looks different", Kikki & Polly, no Etsy


domingo, 18 de setembro de 2011

Fistful of Mercy

Dona Mariana


Porto Covo quer dizer, vila arranjada, bem estar,  para quem procura o mar, as rochas, o cheiro forte.

Que saudades da D. Mariana , das  sopas de tomate a um Zé Vilhena,  que todas as noites se sentava como bom alentejano,  e esperava que a sua Alzirinha o servisse. A D. Mariana era uma pessoa amarga, formiguinha.
Tinha um corpo franzino,  já curvado,  pele engelhada e um cabelo curto muito preto. O pátio daquela casa, levava-me até ao pátio de casa da minha avó.. E quando entrava na cozinha, era o rosto da minha tia Emilia, no silêncio daquele rosto, ensombrado por anos de rotinas dolorosas.   
Era um lugar que me era familiar; 
O terraço as noites
Uma das suas tarefas diárias era ordenhar as vacas, e  fazer os queijos que vendia aos cafés. 
Em Bundi, no campo, lembrei-me das rotinas da D Mariana, e não passaram assim tantos anos. 
Ou será que 30 anos é muito tempo?
  

Albandeira




Hoje de manhã, ao pequeno almoço, pensou em Albandeira.
Recordava a estrada, e a estranheza de os carros conseguirem passar por ali.
Hoje foi fazer a experiência; não se arrependeu.
A estrada é linda, e o campo um apetite.
Um mar e um céu de perder o juízo.
E a luz,
sempre.

sábado, 17 de setembro de 2011

Era o mar no olhar


O tempo deslizava com leveza.
Era o mar no olhar. 
Vivia o presente sem amarras de cor, nem punções do ser.
Aspirava a brisa de um mar que enverdecia olhos dentro.
Sorvia os dias marítimos, que temperavam o gosto.
Não esperava mais

Richard Hamilton










Richard Hamilton (1922-2011)





domingo, 11 de setembro de 2011